A Good woman is hard to find

A Good Woman is Hard to Find – MotelX 2019

13 Setembro, 2019 0 Por Maria da Luz Pinheiro

A Good Woman is Hard to Find  – de Abner Pastoll

 

Abner Pastoll regressou ao MotelX para apresentar a sua longa-metragem A Good Woman is hard to Find, cujo título tem raiz numa frase bíblica.

Resultado de uma coprodução entre Reino Unido, Bélgica e Irlanda, este é um thriller criminal, negro quanto baste, que vive da força da relação maternal, e de até onde uma mãe está capaz de ir para proteger os seus filhos.

A história corre em torno de Sarah (Sarah Bolger) que habita num bairro dos subúrbios do Reino Unido, um bairro, como na maioria destes casos, problemático e marcado pelo tráfico de droga. Este problema atravessa o filme. Sarah vive com os dois filhos – Ben (Rudy Doherty) e Lucy (Macie McCauley), após ter perdido o marido, assassinado em frente ao seu filho mais novo, Ben, que pelo trauma causado, nunca falou.

No desemprego e a lutar pela sobrevivência dos três, Sarah continua a lutar com a polícia para que a investigação da morte do seu marido não pare. No entanto, como em múltiplos casos reais, a polícia descarta o caso já que o considera apenas mais uma vítima das guerras entre traficantes.

A Good woman is hard to find

A Good woman is hard to find – Andrew Simpson ©Dominique Houcmant Goldo

Clique para Visitar


Tito (Andrew Simpson) um traficante entra pela casa de Sara para se refugiar e esconder a droga roubada aos principais traficantes do bairro. Como compensação, propõe-lhe um negócio de venda da droga e partilha do ganho. No entanto o sentido de proteção dos filhos leva-a a rejeitar a proposta, o que faz disparar o comportamento violento de Tito.

Numa espiral descendente, em que tudo corre mal a Sarah, vamos assistindo à sua metamorfose, em que passa (num desempenho brilhante) de uma mãe crente, aparentemente vulnerável e que “não faria mal a uma mosca”, a uma mulher enorme, forte, que pela segurança dos seus filhos vai até onde for necessário.

A jornada de Sarah torna-se bastante intimista para o espectador, pondo-o como um voyeur perante o sofrimento que ela enfrenta e as escolhas que tem de fazer.

A Good woman is hard to find

A Good woman is hard to find – Sarah Bolger ©Dominique Houcmant Goldo

Esta é também uma história que nos traz temas críticos na sociedade contemporânea – a marginalização das camadas mais pobres que são, quase em todo o lado ignoradas pelos que têm como função protege-las, conduzindo muitos a uma vida marginal e de crime.

É uma história que nos fala também da maldade das pessoas que nos rodeiam, rotulando tudo e todos do modo mais confortável, sem antes questionarem as circunstâncias que levaram os outros a esse ponto, se necessitam de ajuda ou se estão apenas a passar por um mau bocado.

E por isso, Sarah é uma mulher fabulosa, capaz de lidar com tudo o que se está a passar na sua vida não só familiar, como a relação muito complexa com a sua mãe, mas também com as causas exteriores, nem que para isso tenha que recorrer a violência extrema. E recorre!

A Good woman is hard to find

A Good woman is hard to find – Sarah Bolger ©Dominique Houcmant Goldo

Abner Pastoll na conversa com o público após o filme, falou-nos do seu processo de casting e das dificuldades em gravar com as duas crianças que naturalmente não são atores, fora as peças que eventualmente tenham realizado nas suas escolas. Pequenas grandes características que contribuem para que o todo seja mais credível.

A resposta da sala foi extremamente positiva e testumunhou momentos de violência extrema enquadrados por diversos momentos de humor (negro, claro) que conferem ao filme um equilíbrio importante, não deixando de ser um filme de violência presente e latente.

Se afastarmos a componente mais gráfica (ou talvez não), temos uma narrativa que é muito comum na sociedade e que cada vez mais urgentemente deveria ser combatida, pois se pregamos ideais de igualdade, democracia e tolerância, deveríamos ser capazes de ser os primeiros a cumprir esses mesmos ideais.


A Good Woman is Hard to Find no IMDB

Segue-me

Maria da Luz Pinheiro

Licenciada em História de Arte pela Faculdade de Letras de Lisboa. Apaixonada por histórias contadas na imagem, literatura do século XIX e artes decorativas. Defensora da liberdade no mundo da arte.
Maria da Luz Pinheiro
Segue-me

Latest posts by Maria da Luz Pinheiro (see all)

 
O que vamos publicando.Receba ao sábado de manhãzinha no seu email, um resumo dos nossos artigos da semana. (Não enviamos SPAM)
Artes & contextos

GRÁTIS
BAIXAR