Renascentista

5 Características da Arte Renascentista que mudaram o Mundo para Sempre

22 Novembro, 2019 0 Por Artes & contextos

Depois da idade das Trevas e da Idade Média e das suas turbulência e estagnação associadas, para não mencionar a Peste Negra, a Europa viveu  um renascimento através da redescoberta da matemática, da filosofia, da astronomia, das ciências, da literatura e da arte, que testemunharam uma grande renovação nesses 200 anos, ou seja, aproximadamente entre 1400 e 1600.

Enquanto algumas das principais características da arte renascentista vieram a influenciar o mundo moderno, esta fase levou a um pensamento espiritual em que as pessoas começaram a explorar a filosofia do humanismo.

Com o advento da imprensa, o conhecimento foi, pela primeira vez em mais de 1000 anos, acessível a pessoas que não pertenciam ao clero, à nobreza, à aristocracia e à realeza.

Foi movido pela especial atenção que passou a ser dada às eras clássicas da Grécia e de Roma, que até ao Renascimento tinham sido o auge da realização humana.

Arte do renascimento – Um período de reavivamento e de criatividade

Uma renovada paixão pela aprendizagem e pela realização humana levou à influência de todos os novos estudos na formação da arte maior.

O Renascimento foi um período de grande aprendizagem e curiosidade que levou alunos e artistas a desenvolverem e a dedicar-se a novas formas de arte.

Trouxe várias mudanças, que ainda hoje influenciam o mundo moderno. Mas entre os seus efeitos está o facto de, na altura,  o mundo ter-se  encaminhado para uma fase de elevação do pensamento espiritual. Uma fase em que as pessoas começaram a explorar a filosofia do humanismo.

Florença, em Itália, foi o berço do Renascimento e essa é a razão pela qual muitas disciplinas se concentraram principalmente em Itália

O poder dos humanistas durante o período renascentista foi dominando e, portanto, a igreja procurou tornar-se “patrono” dos projetos dos artistas.

Os empreendimentos criativos envolvendo a igreja e os artistas dispararam devido à alta educação patrocinada pela igreja e pelos comerciantes ricos que gastavam enormes quantidades de dinheiro em quadros.

A arte renascentista foi um instrumento na mudança que o mundo viveu.

A seguir apresentamos cinco das características da Arte Renascentista que tiveram uma maior influência no mundo.

Top 5 Características da Arte Renascentista que mudaram o mundo

1. Vontade e Disponibilidade para aprender e explorar

O desenvolvimento da tecnologia e de novas descobertas levaram artistas e alunos a procurarem mais.

Enquanto o mundo ocidental assistia a descobertas e inovações simultâneas, os artistas em Itália tornaram-se cada vez mais curiosos em explorar o mundo e todos os aspetos possíveis da natureza.

Renascentista

A Aula de Anatomia do Dr. Tulp – Rembrandt

Clique para Visitar


As descobertas na Europa incluíam novas rotas marítimas, continentes e colónias, bem como inovações na arquitectura, na escultura e na pintura. Acreditava-se que o renascimento da antiguidade clássica poderia levar a uma aposta muito valiosa e generalizada dessa época.

2. Fé na Nobreza do Homem – Humanismo

Antes do Renascimento foi o Humanismo Renascentista que contribuiu fortemente para a sua ascensão.

Note que o Humanismo Renascentista não é o mesmo que o Humanismo.

O Humanismo foi um dos principais ramos, e uma característica do período renascentista. O Humanismo Renascentista foi um movimento intelectual que começou no século XIII.

O grande ideal da filosofia estava ligado ao estudo de textos clássicos, e à adaptação desses pensamentos clássicos por outros mais contemporâneos. No século XV, o Humanismo Renascentista tornou-se a forma dominante da educação. Era tão popular que foi dividido numa série de subdesenvolvimentos. Francesco Petrarca (1304-1374) é considerado o pai do Humanismo Italiano, e a sua contribuição para a filosofia foi enorme.

O Humanismo Renascentista foi determinante para o Renascimento. Era popular e preponderante naquele período  e era proporcional ao quanto a Igreja tinha que apoiá-lo e até mesmo “patrociná-lo”.

Os Humanistas acreditavam que Deus criou o ser humano com uma enorme variedade de potencialidades e competências e, que para conseguir o melhor delas, é preciso dignificar-se e estimar-se a si mesmo de forma correta. Por isso sentiam que tinham a responsabilidade de agir de acordo com esta filosofia e aproveitá-la ao máximo.

Através do Humanismo, a Arte gozava do especial apoio da Igreja. A igreja começou a financiar e a patrocinar projetos criativos e a educação. E com uma elevada taxa de patrocínio da realeza abastada, havia sempre um mercado pronto para receber as pinturas que eram produzidas.

Intelectuais, artesãos e homens vulgares concluíram que a Igreja nunca foi a responsável pelo seu comportamento e crenças para com Deus e os para com seus semelhantes e que eram eles próprio os responsáveis pelas suas ações.

Renascentista

A Escola de Atenas – Raphael

A visão paralela entre a religião e o humanismo foi esclarecida e a estima relacionada com a autovalorização foi pensada. A magnífica Procissão dos Reis Magos, retratada por Gozzoli, procura uma face mais régia do que religiosa.

3. A descoberta e o domínio da perspetiva linear

O renascimento da matemática e das proporções levou à inovação de dois grandes sistemas: o uso da perspetiva linear e a introdução do ponto de fuga – Esta é considerada uma das características revolucionárias da arte renascentista e foi criada pelo arquiteto da época, Filippo Brunelleschi.

Ele usou as inovações na matemática para criar uma perspetiva linear usando linhas paralelas, uma linha de horizonte e um ponto de fuga para representar na pintura de forma realista o espaço e a profundidade.

 

Renascentista

Perspetiva Linear na Arte Renascentista

Sendo a pintura uma actividade bidimensional, o aparecimento da perspetiva linear permitiu um olhar tridimensional através da prática.
Para conseguir isso, os artistas tomam uma linha de horizonte ao nível dos olhos e marcam um ponto de fuga sobre a mesma. Um tabuleiro de xadrez recuado com linhas de interseção, foi criado para convergir e encontrar o ponto de fuga. Criou-se assim uma sensação de distância e profundidade.

Com a prática constante, os artistas conseguiram criar um efeito tridimensional nas suas obras.

Não só a arte atingiu um ponto alto com a perspetiva linear, mas a capacidade de retratar figuras convincentemente naturalistas em espaços ilusórios também foi louvável.

O mentor por detrás destes desenvolvimentos foi o autor de três tratados matemáticos e um artista admirável, Piero Della Francesca, cujas pinturas de perspetiva e impressionantes figuras mostram técnica e requinte. Um exemplo clássico da sua obra é A Flagelação de Cristo.

4. Renascer do Naturalismo 

Esta é outra característica da Arte Renascentista que trouxe mudanças nos padrões internacionais.

Naquela época, surgiram o desenho e a pintura anatómica. Leonardo da Vinci foi o pioneiro desse movimento. Ele definiu os padrões do desenho e pintura de corpos anatomicamente corretos, a partir da sua busca pelo entendimento profundo do corpo humano. Leonardo realizou autópsias enquanto desenhava tudo o que via no interior corpo humano, da forma como o via. Então incorporou o que aprendeu sobre estruturas ósseas, musculatura e colocação de órgãos (dos corpos que desenhou ou pintou), no corpo do conhecimento.

Os artistas renascentistas italianos integraram figuras em cenas complexas que permitiram uma perspetiva mais ampla e um vislumbre das vidas dos ricos ou privilegiados.

Tanto a luz, como a sombra quanto a perspetiva foram usadas eficazmente para focar a atenção nas figuras que se pretendia realçar nos quadros.

Leonardo Da Vinci foi considerado cientista, tanto como artista.

 

Senhora com um Arminho – Leonardo da Vinci

Leonardo Da Vinci e Miguel Ângelo observaram cadáveres a serem dissecados e  isto serviu para estudarem a forma como os músculos do ser humano se distribuem.

Nos tempos medievais, o corpo humano era considerado pecaminoso, malcheiroso e nojento. E, portanto, deveria estar sempre coberto.

Mas no período renascentista, isso mudou. Os pensadores renascentistas consideravam o corpo humano uma coisa linda e um modelo para o universo de Deus.

No desenho seu desenho de 1487, Homem Vitruviano, da Vinci demonstrou que um corpo humano de braços e pernas abertas em X, encaixa num círculo perfeito. E fê-lo com os seus braços abertos num quadrado perfeito.

A escultura nua David de Miguel Ângelo, é um excelente exemplo do fascínio dos renascentistas pelo corpo humano. E da sua convicção de que o corpo humano é o apogeu da criação de Deus.

5. Secularismo 

O secularismo, que é a última característica em que me deterei, foi também uma força importante. É a transição de crenças predominantes e padrões de pensamento de temas religiosos para temas mais amplos. E também a incorporação de práticas como arquitetura e a escultura. Os artistas renascentistas retrataram diversos temas não-religiosos, enquanto que a Arte Medieval era de natureza exclusivamente religiosa.

Ainda assim a arte do renascimento focou-se muito em assuntos religiosos, e em caracteres bíblicos e a partir daqui a tendência deslocou-se gradualmente para a pintura das cenas não religiosas.

Um dos exemplos os mais antigos do renascimento, com um tema não-religioso, foi o revolucionário Casamento de Arnolfini da van Eyck. Jan van Eyck utilizou a técnica de profundidade e o reflexo, colocando um espelho na parede do fundo. Dessa forma, as pessoas que vissem o quadro teriam um reflexo de si mesmas na pintura.

Autorretrato Jan-van-Eyc renascentista

Casamento de Arnolfini – Jan-van-Eyc

O interesse na cultura romana clássica foi reacendido durante este período. Então, o renascimento relevou obras de arte que retratavam cenas das mitologias grega e romana.

Uma das evidências do renascimento das culturas grega e romana foi o renascer da importância dada à escultura.

Em épocas clássicas, apenas as cidades importantes foram povoadas com estátuas e esculturas. Mas durante o Renascimento, houve um interesse crescente na arqueologia, para redescobrir a cultura clássica. Miguel Ângelo estava presente quando o Laocoon, esculpido no século I, foi descoberto em Roma.

Prensamentos Finais

Em conclusão, a era renascentista na arte teve inúmeros efeitos e um grande impacto na forma como o mundo está hoje estruturado.

Pintores e escultores que surgiram após esse período de grandes inovações e desenvolvimentos, acompanharam as novas tendências e produziram melhores obras. Com o passar do tempo, as inovações foram avançando e o conhecimento foi-se refinando a cada nova geração.

Os ensinamentos, as aprendizagens e as inovações das gerações anteriores levaram os mais novos à sede de novos avanços. Avanços que irão caracterizar a sua própria geração. Isto então, manteve cada um nos seus próprios pés e ajudou-os a descobrir e a contribuir mais para o mundo da arte.

Génios como Leonardo da Vinci e Miguel Ângelo contribuíram ao mais alto nível com as suas descobertas e inovações.

Outros campos de especialização como Arquitetura também não foram deixados de para trás.

Esta fase da Arquitetura levou ao aparecimento de alguns dos mais belos projetos que caracterizaram os séculos passados. Vistas como objetos devocionais da época, as pinturas ainda são adornadas como grandes obras de arte.

Os princípios da arte renascentista, sem dúvida, contribuíram imensamente para o estado do mundo de hoje. Ensinaram-nos princípios e ideais que se mantiveram relevantes, através dos tempos.

Transcenderam gerações, e ainda influenciam fortemente o nosso estilo de vida e os padrões do nosso mundo.

O artigo original foi publicado @ Art – Art and Culture Journal
The original article appeared first @ Art – Art and Culture Journal

Este artigo foi traduzido do original em inglês por Redação Artes & contextos

Artes & contextos

Assinados por Artes & contextos, são artigos de múltiplos autores, ou republicações de artigos de outras publicações e autores, devidamente identificadas e (se existente) link para o artigo original.
 
O que vamos publicando.Receba ao sábado de manhãzinha no seu email, um resumo dos nossos artigos da semana. (Não enviamos SPAM)
Artes & contextos

GRÁTIS
BAIXAR