Émeric Chantier na Origem : da natureza e das pessoas

21 Novembro, 2019 0 Por Artes & contextos

Definition(s) de Émeric Chantier

Em 2006, Émeric Chantier iniciou a sua carreira em Paris. O seu atelier situado em Montreuil oferece-nos uma visão da extensão do seu talento. Inspirado na Natureza, no Homem e mais amplamente no seu ambiente, as suas composições questionam-nos, empurram-nos, convidam-nos a sonhar. Questionam o homo politicus que somos, discutem e questionam as âncoras do Homem e da Natureza no nosso universo. Chantier vive visceralmente obcecado com esta questão, dilacerado em busca da verdade. Não há lugar para mais ou menos. Tudo é milimétrico, calculado, pensado, imaginado, poetizado. Tudo parece real, tudo se encaixa.

Emeric Chantier, Ominus, Série Hands, technique mixte, H. 33 x L. 42 x P. 17 cm, 2016 ©A2Z Art Gallery et Emeric Chantier

Emeric Chantier, Ominus, Série Hands, técnica mista, H. 33 x L. 42 x P. 17 cm, 2016 ©A2Z Art Gallery et Emeric Chantier

Clique para Visitar


Assim, Definition(s), uma série de cerca de dez obras orgânicas esculpidas e modeladas, apresenta várias espécies animais e formas humanas que se imaginariam verdadeiras pela sua beleza, pelo que evocam no nosso cosmos, no nosso bem ordenado sistema. Para Émeric Chantier, não é assim. Definition(s) como o seu significado suigere, é uma operação (artística) através da qual o conteúdo de um conceito é determinado pela enumeração dos seus carateres. Aqui, tudo é uma questão de ângulo(s) de visão, apreensão(ões), compreensão(ões), interpretação(ões) e conhecimento(s). A natureza é exposta com clareza e profundidade.

Emeric Chantier, Green Heart, technique mixte, H. 50 x L. 25 x P. 20 cm, 2012, ©A2Z Art Gallery et Emeric Chantier

Emeric Chantier, Green Heart, técnica mista, A. 50 x L. 25 x P. 20 cm, 2012, ©A2Z Art Gallery et Emeric Chantier

 

 

Emeric Chantier, Cross, technique mixte, H. 64 x L. 50 x P. 24 cm, 2013, ©A2Z Art Gallery et Emeric Chantier

Emeric Chantier, Cross, técnica mista, A. 64 x L. 50 x P. 24 cm, 2013, ©A2Z Art Gallery et Emeric Chantier

Às vezes livres, às vezes confinadas pela sua fragilidade a pequenos espaços, as suas criaturas apelam à “ajuda”, à compaixão e à ternura. É um apelo à emoção. É com uma certa inteligência, uma certa sensibilidade e um verdadeiro know-how que Émeric Chantier consegue lidar com esta matéria seca e selvagem com brio, destacando implicitamente o processo de conflito entre a Natureza e a artificialização dos espaços.

O olhar torna possível clarificar os pensamentos. Tudo é detalhe, enraizamento: é a parte de um objeto que permite a ligação a algo, à tinta das coisas, ao Homem, à Natureza. Regarde-Moi oferece esta perspetiva. As composições artísticas tornam possível a ligação entre a planta e o ser humano. Eles são o elo que não pode ser quebrado. A anatomia botânica, as fibras elásticas permitem ao corpo, ao material mover-se, animar-se, deslocar-se, posicionar-se. Ela aparece-nos como um sistema muscular interno.

Emeric Chantier, Boy, technique mixte, H. 37 x L. 20 x P. 21 cm, 2017 ©A2Z Art Gallery et Emeric Chantier

Emeric Chantier, Boy, técnica mista, A. 37 x L. 20 x P. 21 cm, 2017 ©A2Z Art Gallery et Emeric Chantier

É o estado natural das coisas: o humanum natura, o nascimento do mundo, a origem do mundo. O cristianismo, a religião, desempenham aqui o seu papel. Há um piscar de olhos à Criação de Adão de Michelangelo, onde Deus dá vida ao homem, criando-o à sua imagem. Ele é aquele que dá a vida, mas ao mesmo tempo é aquele que a explora, a destrói, a viola, a rentabiliza quando ela está associada à Mãe Natureza. Ele – o Homem – está no coração de tudo. É o coração da organização social onde a ecologia interage com o desenvolvimento humano: elas são inseparáveis.

Tudo passa pelo símbolo. Hands, a mão, representa a nossa capacidade de dar, receber, tocar, sentir, comunicar. Permite-nos alcançar muitas coisas. É a garantia de qualidade e precisão do trabalho. Dela emana a capacidade de exercer, de empreender, ela detém o poder. Ela é a Criação, aquela que mostra o caminho a seguir. Se associada à quiroprática, pode descobrir o futuro de uma pessoa, descrever o estado de algo. Émeric Chantier doma o material, atrai a atenção, alerta-nos.

Consommables. Todas as suas obras são consumíveis: por outras palavras, são acessórios descartáveis e reutilizáveis. Latas, caixas de alumínio, lâmpadas, tudo é reutilizável, tudo pode ter uma segunda vida. Novamente, tudo tem um significado: a atividade natural está ligada à atividade humana. Referências à nossa atividade económica e a restaurantes de fast food: Big Mech evoca a grande marca americana conhecida pela sua junk food: McDonald’s. Can 5 refere-se aos diversos acidentes com petroleiros que derramam o seu ouro negro sobre a nossa natureza. Aqui, o petróleo é insinuado, é substituído por um tronco de árvore, que se espalha por toda a estrutura. A árvore simboliza a vida, o Homem, é um lugar sagrado. As suas raízes são profundas, está na origem da vida como a religião. Testemunha a evolução perpétua do nosso mundo.

É a criação, a vida, refere-se à Terra, é a ligação entre este mundo e o Além. As raízes dão equilíbrio, são profundas, bem implantadas. Os ramos, por outro lado, tendem para o Além, para o Céu. Eles representam o sonho e o real, o futuro incerto e próspero.

Émeric Chantier tenta dar vida a esta Natureza, realça todas as suas características, sem censura, sem mentiras, entrega uma verdade desconcertante mas criativa. Mais do que um artista, ele é um designer do mundo. O seu trabalho é empenhado, humano, verdadeiro e tenta dar uma resposta que não é só uma.

Emeric Chantier, Green Skull, technique mixte, H. 45 x L. 25 x P. 25 cm, 2010-2011, ©A2Z Art Gallery et Emeric Chantier

Emeric Chantier, Green Skull, técnica mista, A. 45 x L. 25 x P. 25 cm, 2010-2011, ©A2Z Art Gallery et Emeric Chantier

 

Emeric Chantier, Conserve 1, série consommables, technique mixte, H. 32 x L. 22 x P. 22 cm, 2015 ©A2Z Art Gallery et Emeric Chantier

Emeric Chantier, Conserve 1, série Consommables, técnica, A. 32 x L. 22 x P. 22 cm, 2015 © A2Z Art Gallery et Emeric Chantier

 


O artigo original: Émeric Chantier, foi publicado @Boum!Bang!
The original article: Émeric Chantier, appeared first @Boum!Bang!
L’article originel: Émeric Chantier, a été publié @Boum!Bang!


 

Artes & contextos

Assinados por Artes & contextos, são artigos de múltiplos autores, ou republicações de artigos de outras publicações e autores, devidamente identificadas e (se existente) link para o artigo original.
 
O que vamos publicando.Receba ao sábado de manhãzinha no seu email, um resumo dos nossos artigos da semana. (Não enviamos SPAM)
Artes & contextos

GRÁTIS
BAIXAR